Categorias
Política Nacional Destaque2

A vitória do Governo é real, mas o caminho da Rreforma tem mais curvas e tepidações, analisa Luzenor sobre aprovação do parecer

A semana termina com sabor de vitória para os defensores do enxugamento da Previdência Social. No editorial do Jornal Alerta Geral desta sexta-feira (5), Luzenor de Oliveira afirma que a vitória é real, mas a aprovação da reforma da previdência não é garantida.

“Foi apenas uma vitória. O embate final ainda está por vir”, corrobora Beto Almeida com a análise de Luzenor.

Os jornalistas fazem essa avaliação com base na votação da Comissão Especial da Câmara Federal que aprovou, nessa quinta-feira (4) e na madrugada desta sexta, o parecer do relator Samuel Moreira (PSDB-SP). O texto aprovado tem muitas alterações em relação ao projeto encaminhado pelo Governo, mas o conteúdo do parecer aponta para o novo desenho do sistema previdenciário brasileiro.

Muitas mudanças nas regras atuais que disciplinam a concessão de aposentadoria e pensões estão sendo feitas. Agora o próximo passo é a apreciação pelo plenário da Câmara Federal do texto aprovado pela Comissão Especial. Daqui para frente, serão novas discussões e muita articulação para o Governo Federal ver aprovada por pelo menos 308 votos a mais profunda reforma da história da Previdência Social Brasileira.

Como votaram os deputados cearenses

Beto Almeida destaca que, entre os deputados federais cearenses que fizeram parte da Comissão, um votou contra e outro votou a favor. Heitor Freire (PSL), que já se disse, nos estúdios do Jornal Alerta Geral, um soldado de Bolsonaro, cumpriu a expectativa do seu eleitorado e votou a favor, enquanto André Figueiredo, do PDT, partido de Ciro Gomes e principal nome de oposição à Jair Bolsonaro, votou contra.

O assunto foi um dos destaques do Jornal Alerta Geral desta sexta-feira (5). O correspondente Carlos Silva trouxe a informação que, para o presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia, o texto final da reforma da previdência começa a ser discutido pelo plenário na próxima terça-feira e deve ser votado antes do recesso parlamentar, que começa dia 18.

Os 4 meses de debates, segundo Luzenor, foram mais do que suficientes para uma profunda avaliação sobre os critérios que precisam ser instituídos para um maior equilíbrio de contas da Previdência Social. As regras mexem com os atuais trabalhadores e, principalmente, com quem está se preparando para ter a primeira assinatura na carteira de trabalho.

Confira as análises dos jornalistas Luzenor de Oliveira e Beto Almeida na íntegra e fique por dentro de tudo sobre a aprovação o parecer da Reforma: