Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

No Bate-Papo político desta terça-feira (04), os jornalistas Luzenor de Oliveira e Beto Almeida repercutiram o andamento nos bastidores políticos da corrida eleitoral pela prefeitura de Fortaleza. Atualmente, apresentam-se como pré-candidatos o ex-deputado federal Capitão Wagner pelo PROS, a ex-prefeita Luizianne Lins pelo PT, o deputado Heitor Ferrer pelo Solidariedade, além de Carlos Matos pelo PSDB e outros cinco nomes que estão numa sequência de debates internos para definição sobre o nome do PDT.

“A temperatura está ficando alta demais e não estou falando de temperatura física, é temperatura no campo político. O Capitão Wagner ao participar, ao ser a estrela maior desse movimento que lançou o pedido por Eleições Limpa, ele   foi o holofote da imprensa porque diz que está em busca de ampliar esse arco de alianças, e principalmente em busca de uma grande sigla, que é o que está faltando. A grande pergunta é: quem será essa grande sigla?”, disse o jornalista Beto Almeida.

Beto Almeida destaca ainda que Capitão tem procurado o PSDB como possível aliança e tem inclusive o apoio do deputado federal e atual pré-candidato a prefeitura de Maracanaú, Roberto Pessoa (PSDB), o qual defende que a sigla abra mão da candidatura própria para apoiar Wagner. Atualmente, o partido, sob comando regional do ex-senador Luiz Pontes, endossa a pré-candidatura do ex-deputado estadual Carlos Matos à prefeitura de Fortaleza.

“O PSDB embora esteja na janela do namoro com o Capitão Wagner não desperta tanto interesse quando o MDB, que tem um fundo eleitoral mais expressivo e também um tempo de propaganda de rádio e televisão. Daí a insistência do Capitão Wagner ainda tentar atrair o MDB, uma vez que pelos recados que tem dado o ex-senador Eunício Oliveira, nas divergências com o PDT,  é pouco provável que o MDB esteja em aliança com o PDT no primeiro turno na capital”, afirmou o jornalista Luzenor de Oliveira sobre o assunto.

Na sequência, Beto destaca que ficaram alguns mal entendidos desde a última campanha em que Capitão Wagner teve o apoio do MDB, os quais podem ser resolvidos, no entanto, Beto diz “nem que seja pra marcar posição o MDB já tem um deputado Leonardo Araújo que tem se colocado como pré-candidato e que encontra respaldo do ex-senador Eunício Oliveira…essa possibilidade de o MDB não fechar com ninguém e ter candidatura própria aqui na capital, é bem real”.

Posteriormente, Luzenor destaca os cinco pré-candidatos do PDT (Ferrúcio Feitosa, Samuel Dias, Salmito Filho, José Sarto e Idilvan Alencar) que vêm participando de debate e apresentando propostas para que entre os dias 31 agosto e 6 de setembro, seja decidido quem representará o partido. Em contrapartida, Beto salienta que a tendência é que esse nome saia do PDT, mas que além dos cinco existem alguns nomes que correm por fora como Élcio Batista do PSB e Célio Studart do PV.

“Muitos imaginam até uma terceira via, a questão do PDT é saber quem vai se mostrar viável, é preciso saber disso. A questão hoje do PDT entre esses cinco pré-candidatos é saber quem vai se mostrar viável, quem vai se mostrar forte eleitoralmente, precisa primeiro ter esse questionamentos” , finaliza Beto.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp