Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O terminal de logística de carga (Teca) do Aeroporto Internacional Pinto Martins, em Fortaleza (CE), concluiu 2016 com crescimento de 7% no setor de Exportação. Foram 3.895,9 toneladas movimentadas. O Teca também contabilizou aumento de 1% da movimentação total (Importação + Exportação), com 5.624,7 toneladas.

Segundo o gerente de Negócios em Logística de Carga do Aeroporto de Fortaleza, Rinaldo Tolentino Tavares de Lira, o Teca de Fortaleza sempre teve um histórico de fluidez nas operações e serviços de Exportação, e, para isso, todas as estatísticas de segmento de mercado – destino final, perfil da operação, dentre outros fatores – são acompanhadas de perto e de forma constante. “O importante é sempre nos adequarmos à demanda do exportador”, explica Rinaldo, que acrescenta: “Também procuramos levar em consideração a eficiência das nossas operações de exportação perante os segmentos que atendemos, onde a nossa atenção no processamento da carga é total, somadas às constantes abordagens realizadas junto aos exportadores e aos principais agentes de carga, responsáveis pela estratégia logística das mercadorias”.

Itens de exportação

Segundo o gerente da Infraero, o Ceará vem se firmando como um importante polo de exportação (modal aéreo) em três segmentos: frutas (mamão e manga), calçados e couro. “A fruta foi o carro chefe das exportações em 2016, representando 65% do total exportado, em especial o mamão papaya, que corresponde a 89% das nossas exportações de frutas”, destaca Rinaldo. As frutas seguem direto para a Europa, principalmente para Portugal. Uma parte também segue para a Itália. ”Isso, em parte, se deve à posição estratégica do estado do Ceará em relação à Europa e ao fato de termos voos da TAP saindo diariamente com destino direto para Lisboa”, conta o gerente.

Na área de calçados, destaque para a empresa Grendene, que movimentou, juntamente com as outras empresas de destaque do segmento, 8,5% de todo volume exportado em 2016. Em seguida, o couro, que representou 7% das exportações. O segmento exporta o produto, em grande parte, para países como os Estados Unidos e o México.

Metas para 2017

Mesmo com o processo de concessão do Aeroporto de Fortaleza, previsto para este ano, a equipe de Logística de Carga do terminal cearense nem pensa em desanimar. “O planejamento e o foco por resultados é total. A Infraero tem um planejamento estratégico definido, e, como empresa, temos uma missão institucional a ser cumprida e executada. Nós aceitamos o desafio e, para isso, já estamos dando prosseguimento ao nosso cronograma de visitas a clientes estratégicos, definindo novos segmentos para prospecção, preparando uma apresentação a ser realizada nas câmaras setoriais de exportação do governo do estado e também preparando um material de apresentação da estrutura do Teca de Fortaleza”, destaca o gerente de Negócios em Logística de Carga do Aeroporto de Fortaleza, Rinaldo Tolentino Tavares de Lira.

O terminal de logística de carga do Aeroporto de Fortaleza conta com 22 funcionários, sendo 11 empregados da própria Infraero e 11 terceirizados.

Com informação A.I