Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Mais um pedido de exceção de suspeição contra o juiz federal Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba, movida pela defesa de Luiz Inácio Lula da Silva, foi rejeitada por unanimidade, nessa quarta-feira, 31, pela 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), em Porto Alegre. As informações foram divulgadas no site do TRF-4.

Os advogados do ex-presidente alegaram que o magistrado teria pedido a imparcialidade para julgar a ação penal referente ao sítio Santa Bárbara. O imóvel em Atibaia, em nome de Fernando Bittar, filho de Jacó Bittar, ex-prefeito de Campinas pelo PT, é pivô de mais uma ação penal em que Lula é réu por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. O Ministério Público Federal sustenta que as reformas bancadas pela Odebrecht e a OAS dissimularam pagamentos de R$ 1 milhão ao ex-presidente.

De acordo com o desembargador federal João Pedro Gebran Neto, relator dos recursos da Operação Lava Jato no tribunal, as questões apresentadas e que atestariam a quebra de imparcialidade do juiz já foram exaustivamente analisadas pela 8ª Turma em outras ações semelhantes propostas pela defesa do ex-presidente.

Com informações do Jornal O Estado de São Paulo