Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O Laboratório de Biotecnologia e Biologia Molecular da Universidade Estadual do Ceará (Uece) apresentou depósito de patente junto ao Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI) no último dia 28 de setembro, com o título Uso da vacina de coronavírus aviário (IBV) como modelo de imunização em mamíferos contra SARS- CoV-2.

A invenção propõe o uso em humanos de um coranavirus aviário atenuado, que está no mercado há décadas, que não causa infecção em seres humanos, isto baseado em várias publicações que mostram que os indivíduos que manipulam a referida vacina em avicultura, desenvolvem a produção de anticorpos específicos contra o IBV e não causa doença e nem faz reação cruzada com outros Coronavírus.

“A patente se situa no campo da biotecnologia e imunologia, certamente o da preparação vacinal com fins médicos e de saúde pública, baseada na nova utilização (segundo uso) de um vírus vivo atenuado para uso deste como modelo de imunização em mamíferos, inclusive em humanos, contra SARS-CoV-2.”, explica o pesquisador e doutorando do Programa da Rede Nordeste de Biotecnologia (Renorbio/Uece), Ney de Carvalho Almeida.

O projeto está finalizando a primeira fase de estudos e até o presente momento apresentou resultados satisfatórios quanto à eficácia de uma vacina futura contra a Covid-19. Em testes de soroneutralização, os anticorpos produzidos em camundongos imunizados com o IBV foram capazes de neutralizar a entrada do SARS-Cov-2 em células vero (linhagem de células usada em culturas celulares). Este é um teste padrão para verificar o efeito de proteção contra vírus.

Para a professora da Uece, membro da equipe de pesquisa e coordenadora do Ponto Focal Ceará do Programa de Pós-Graduação em Biotecnologia – Renorbio, Izabel Florindo Guedes, “o estudo é uma grande conquista, importante não somente para a Uece, mas também para toda a população do Ceará e do Brasil, levando em consideração o atual momento que vivemos de enfrentamento ao coronavírus”.

A equipe de pesquisa conta ainda com o docente do mesmo Programa na Uece, Mauricio Fraga van Tilburg.