Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Dada a largada! Os candidatos a prefeito, vice-prefeito e vereador deram início a campanha eleitoral em todo o país. No Ceará, a Justiça Eleitoral recebeu 15.916 pedidos de registros, incluindo prefeitos (596), vice-prefeitos (598) e vereadores (14.722). As mobilizações dos candidatos junto às suas militâncias foram acompanhadas da adoção de regras sanitárias, embora, alguns não tenha seguido as normas a risca.

“Muitos candidatos tanto em cidades da região metropolitana de Fortaleza quanto no interior do Ceará leram ou ouviram sobre as normas que regem o pleito de 2020 e do ponto de vista sanitário, alguns ignoraram por completo as recomendações das autoridades da saúde para serem evitadas aglomerações e os cuidados necessários que devem ser adotados”, disse o jornalista Luzenor de Oliveira.

Dentro do Bate-Papo político, o jornalista Beto Almeida comentou que o cenário já era esperado: “A gente constatou o que vinhamos falando aqui, a dificuldade que vai ser para os candidatos garantirem o mínimo de segurança sanitária nesses tempos de pandemia”. Beto disse ainda que os candidatos na capital até respeitaram a utilização das máscaras, mas pontua que somente o uso delas sem o devido cuidado com o distanciamento social não resolve:

“Não basta apenas o cuidado com a máscara tem que ter o cuidado com o distanciamento social, aglomeração é isso, é essa proximidade, é exatamente o aglomerado. Então nesse aspecto nenhum dos candidatos cumpriram e vai ser difícil. Você imagina o que é realizar atos de campanha como carreatas, caminhadas, seja lá o que venha em busca do voto pelo eleitor que não haja essa aglomeração, mesmo que se respeite máscara”, mas o distanciamento social é algo que vai ser difícil de ser cumprido”, afirma Beto Almeida.

Beto Almeida ainda pontua que a Justiça Eleitoral mostra dificuldades para coibir aglomerações nesses atos de campanha e destaca que o risco é de que um dos candidatos seja contaminado pelo vírus da covid-19 e assim, tenha que ficar pelo menos 14 dias distante da campanha eleitoral, sendo que o pleito será curto, tendo apenas 45 dias. “É uma campanha intensa, uma campanha que precisa estar com o candidato firme, com a saúde em dias, ao mesmo tempo mantendo todos esses cuidados, não é fácil”, declarou.

Em seguida, Luzenor pontua a relevância da internet como ferramenta de propaganda de campanha dos candidatos. Beto destaca que em uma cidade de médio e grande porte, as redes sociais terão um peso preponderante, entretanto, nas cidades menores, onde a polarização é mais forte, vai prevalecer as ações presenciais e contato mais direto com os eleitore.

“Em muitos municípios do interior do Ceará, muita gente não tem acesso a internet, muita gente não tem acesso as redes sociais. Mas do ponto de vista das grandes cidades, dos grandes centros urbanos, e com os maiores colégios eleitorais, a internet é sim a maior ferramenta dos eleitores”, finaliza Beto.