Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

As mulheres cearenses em situação de violência podem procurar a Casa da Mulher Brasileira, que em dois anos de atividades, já registrou 61.507 atendimentos iniciais e de retorno. Isso significa uma média de mais de 66 atendimentos por dia.

Só neste ano, 8.755 mulheres buscaram os serviços da Casa. Coordenado pela Secretaria da Proteção Social, Justiça, Cidadania, Mulheres e Direitos Humanos (SPS), o equipamento acolhe e oferece novas perspectivas a mulheres agredidas física ou moralmente, dando suporte humanizado e capacitação profissional, com foco no empoderamento feminino.

A coordenadora da Casa, Daciane Barreto, e a secretária-executiva de Política para Mulheres, Denise Aguiar, conversam sobre os dois anos de atuação da Casa, nesta terça, às 18h, no instagram @direitoshumanosce.

Com atividades presenciais provisoriamente suspensas, devido ao distanciamento social decorrente da pandemia do coronavírus, a Casa da Mulher Brasileira continua a atender as mulheres remotamente. As linhas telefônicas da Casa ganharam a tecnologia Siga-me, o que permite que as ligações feitas para a Casa sejam direcionadas para os telefones celulares das equipes. Nos meses de abril e maio últimos, a CMB registrou e deu encaminhamento a 2.052 denúncias recebidas por meio do Siga-me.

Telefones para informações e denúncias

– Administrativo Casa da Mulher Brasileira (85) 3108.2992 / 3108.2931;

– Centro de Referência e Atendimento à Mulher Francisca Clotilde (85) 3108. 2965;

– Centro Estadual de Referência e Apoio à Mulher (85) 3108.2966;

– Defensoria Pública do Ceará (85) 3108.2986;

– Ministério Público do Ceará (85) 3108. 2940 / 3108.2941;

– Juizado da Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher (85) 3108.2971;

– Atendimento: plantão 24h, sete dias por semana, Delegacia de Defesa da Mulher de Fortaleza (85) 3108.2950.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp