Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

A 1ª Câmara de Direito Público do Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE) determinou que o Município de Viçosa do Ceará, distante 355 km de Fortaleza, deve pagar indenização de R$ 195.300,00 para um menino atropelado por veículo da prefeitura. A decisão, proferida nesta segunda-feira (24), teve a relatoria do desembargador Fernando Luiz Ximenes Rocha.

Segundo o processo, no dia 11 de julho de 2005, o menino, à época com dez anos de idade, foi vítima de um acidente de trânsito causado por automóvel pertencente ao Município de Viçosa do Ceará. Por causa do ocorrido, ele teve a redução da capacidade laborativa em virtude dos traumas sofridos, entre os quais a amputação parcial do pé direito e perda de dois dedos. Por isso, ajuizou ação na Justiça pedindo indenização por danos morais e materiais.

Em contestação, o município disse que o único culpado pelo acidente foi a vítima, que atravessou a via sem nenhuma precaução. Disse que mesmo não tendo culpa, prestou todo apoio à criança e sua família. Sob esses argumentos, pediu a improcedência da ação.

Ao apreciar o caso, o Juízo da Vara Única da Comarca de Viçosa condenou o município a pagar indenização por danos morais e materiais no valor de R$ 50 mil. Inconformadas, ambas as partes interpuseram apelação (nº 0000279-68.2009.8.06.0182) no TJCE. O município reiterou os mesmos argumentos da contestação e requereu a redução da indenização. Já a vítima pediu a majoração do valor.

O colegiado da 1ª Câmara de Direito Público negou provimento ao recurso do ente público e concedeu provimento ao da vítima para fixar condenação no valor de R$ 195.300,00, valor correspondente ao somatório de 35 anos de pensão mensal de um salário mínimo vigente à época da propositura da ação, “pois este se afigura razoável, proporcional e adequado às circunstâncias fáticas descritas nos fólios para reparar os danos morais e materiais sofridos”. Ainda segundo o relator, “denota-se serem descabidas as divagações recursais que tentam imputar ao autor a culpa exclusiva no acidente, pois inexiste nos autos indício de qualquer conduta inadequada de sua parte”.

Com Tribunal da Justiça do Estado do Ceará

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp