Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Dois anos após perder a eleição ao Governo do Estado para o grupo do ex-governador Cid Gomes (PDT) e, também, sair das urnas em 2016 com resultados adversos na Capital e nos maiores colégios eleitorais da Grande Fortaleza e do Interior, o senador Eunício Oliveira (PMDB) se revitaliza na corrida para as eleições de 2018 a partir da vitória, nesta quarta-feira, no Senado Federal.
Como presidente do Senado Federal, Eunício Oliveira terá muitos desafios na definição de uma agenda política que contribua para o Brasil vencer a crise econômica abalada com os mais de 12 milhões de desempregados. O êxito na condução da agenda política, em sintonia com o Palácio do Planalto, o dará mais força na corrida pelas eleições de 2018.
Eleito em 2010, quando participou de uma aliança que levou o governador Cid Gomes à reeleição e, na mesma coligação, o petista José Pimentel ao Senado Federal, Eunício Oliveira poderá concorrer a um novo mandato de senador ou concorrer ao Governo do Estado em 2018. Em 2014, o peemedebista perdeu a eleição para o atual governador Camilo Santana.
Hoje, Eunício tem como aliados o PSDB, do senador Tasso Jereissati, o PR, do vice-prefeito de Maracanaú Roberto Pessoa e do Capitão Wagner, o grupo que recebe orientação política do presidente do TCM, Domingos Filho, como PSD e PMB. O bloco partidário tem ainda o Solidariedade (SD), do deputado federal Genecias Noronha.