Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) aprova a utilização do WhatsApp como ferramenta para intimações em todo o Judiciário há sete meses. Os Tribunais de Minas Gerais, Amazonas, Mato Grosso do Sul, Rondônia, Paraná, Maranhão, Alagoas, Ceará, Acre, Mato Grosso, Pernambuco e no Distrito Federal, já utilizam o recurso tecnológico e de acordo com o CNJ, a ferramenta está dando mais celeridade aos processos judiciais.

No Sergipe e Pará, o aplicativo está em fase de estudos para implantação. A decisão do CNJ, de junho de 2017, foi tomada durante o julgamento virtual de um Procedimento de Controle Administrativo, em que o Tribunal de Justiça de Goiás, havia proibido a utilização do aplicativo no âmbito do Juizado Civil e Criminal da Comarca de Piracanjuba/GO. O uso da ferramenta de comunicação de decisões processuais foi iniciado em 2015 e rendeu ao magistrado requerente, Gabriel Consigliero Lessa, juiz da comarca de Piracanjuba, destaque no Prêmio Innovare, daquele ano.