Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, disse que a rejeição da denúncia contra o presidente Michel Temer pela Câmara revela a “força” do governo para emplacar a agenda de reformas no Congresso ainda neste ano. Segundo ele, próxima batalha é a retomada da reforma da Previdência.

Mesmo com a infidelidade demonstrada por deputados do PSDB e sem reunir 308 votos – patamar necessário para aprovar mudanças na Previdência –, Padilha amenizou a crise política e afirmou que não haverá retaliação a partidos.

O ministro informou que o Governo está reaglutinando a base e que a reforma da Previdência é considerada imperiosa. Segundo afirma, caso haja nova denúncia, terá o mesmo tratamento da que foi derrotada na Câmara. Disse que o governo vai trabalhar pela rejeição dela na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) e no plenário.