Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Acompanhado dos advogados Carlos Velloso, ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), e de Aristides Junqueira, ex-procurador-geral da República, o senador e presidente do PSDB, Aécio Neves, rebateu, neste sábado (1/4), a informação veiculada na revista Veja de que o ex-executivo da Odebrecht Benedicto Júnior teria dito, em delação premiada, que pagou propina para o parlamentar em uma conta em Nova York.

Segundo Aécio, outro advogado que faz parte de sua defesa, Alberto Toron, conversou com o advogado do delator ontem, que teria garantido que seu cliente sequer citou o senador e sua irmã, Andrea Neves, como revelou reportagem da revista Veja.

“Quero fazer uma declaração que demonstra minha mais profunda indignação com a notícia criminosa publicada na capa de uma das mais importantes revistas do país. Informação falsa, porque isso não existe em Nova York, nem em outra parte dos Estados Unidos ou do mundo. Pedi, inclusive, que falassem o nome do banco que isso teria sido feito, para que pudéssemos ir lá confirmar que não há nada. Ofereci parceria para demoralizarmos essa farsa, mas a reportagem foi publicada da mesma maneira, afirmou.

Com informação da A.I