Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

A partir de agora, os pequenos pacientes que forem realizar procedimentos e/ou cirurgias no Hospital Infantil Albert Sabin (Hias), vinculado à Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa), chegarão ao Centro Cirúrgico a bordo de um carrinho elétrico. A iniciativa, segundo a pasta, contribuirá para aliviar o medo e a tensão das crianças e dos familiares diante de um momento delicado e se soma às demais ações do programa Cirurgia Segura da unidade, que tem como foco a segurança e o acolhimento de pacientes que precisam se submeter a procedimentos cirúrgicos.

“Estamos muito felizes em poder promover momentos como esse, que são muito importantes e fazem parte da nossa missão de oferecer cuidado integral, especializado e humanizado aos nossos pacientes. Por isso, estamos sempre em busca de criar um ambiente mais leve e lúdico no hospital”, afirma a diretora-geral do Hias, Fábia Linhares.

O primeiro paciente a utilizar o carrinho elétrico foi José Gael, 2. O menino se submeteu, na manhã dessa terça-feira, 5, a uma vesicostomia cutânea, cirurgia para a implantação da bexiga na pele. No mesmo dia, a pequena Laura, 4, e sua mãe, Aurenice, chegaram ao Centro Cirúrgico e também foram surpreendidas com o transporte para levá-la para realizar o procedimento.

Ação faz parte do programa “Cirurgia Segura”, que tem como foco a segurança e o acolhimento de pacientes que precisam se submeter a procedimentos cirúrgicos

“Ela ficou tão entretida que nem falou comigo, foi tranquila com a equipe para o Centro Cirúrgico”, observou a mãe. A menina, paciente do Centro Pediátrico do Câncer (CPC), passou pelo procedimento de introdução de um cateter venoso central de inserção periférica (cateter PICC), utilizado por quem precisa de acesso venoso vascular para terapias prolongadas.

O equipamento, que foi uma doação de uma empresa especialista em tecnologia, ficará disponível para uso do Centro Cirúrgico, mas, como medida de segurança, será utilizado apenas por pacientes maiores de três anos e com, no máximo, 30 quilos, conforme orientação do fabricant

Cirurgia Segura

O programa Cirurgia Segura surgiu com o objetivo de qualificar e humanizar a assistência ao paciente cirúrgico nesse momento de tensão, dar mais segurança aos procedimentos e orientar melhor as famílias, evitando atrasos e possível suspensão de cirurgias. Para isso, foi criada, também, a Sistematização da Assistência de Enfermagem Perioperatória Pediátrica (Saepp).

“Fizemos todo um processo. Primeiro é feito o aprazamento da cirurgia. Depois, o paciente vem para a unidade, se interna e, no dia do procedimento, ele fica aguardando na nossa sala de espera. Lá temos um ambiente lúdico, que mostra todo o percurso do paciente no hospital até o Centro Cirúrgico, bem como brinquedos e material educativo para tornar mais leve esse momento. Além disso, lá registramos na Saepp todas as informações solicitadas pelo Protocolo Nacional de Segurança do Paciente, como a checagem da pulseirinha, dos adornos, do jejum e das alergias”, relatam as enfermeiras idealizadoras do Cirurgia Segura, Daura Porto e Moema Diogo.

(*) com informações da Secretaria da Saúde do Ceará

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp