Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
No Bate Papo desta segunda (25), os jornalistas Luzenor de Oliveira e Beto Almeida lembraram que estradas cearenses já sofrem com períodos chuvosos desde 2017.

Com o início da quadra chuvosa, problemas nas rodovias cearenses aparecem e mostram a ineficiência do poder público em garantir o movimento seguro entre os municípios do estado. O caso de maior repercussão foi o da CE-176, onde um trecho acabou sendo destruído nesse final de semana por conta da força da correnteza.

O assunto ganhou destaque no Bate Papo desta segunda-feira (25), entre os jornalistas Luzenor de Oliveira e Beto Almeida, que relembraram a rodovia CE-163, que, em 2017, também ficou danificada pelo rompimento de um reservatório particular, que abriu crateras e cortou ao meio dois trechos.

Na ocasião, o Departamento Estadual de Rodovias (DER) improvisou dois desvios em estrada de piçarra para as praias de Mundaú, Flecheiras e Guajiru não ficarem isoladas. No entanto, a demora na reestruturação da via deixou a comunidade local em prejuízo, já que o ponto forte da região, o turismo, ficou impossibilitado.

No caso da CE-176, que garante a passagem de veículos ao litoral Oeste do Ceará, dando acesso às praias de Icaraí de Amontada e Moitas, no município de Amontada, o DER também está construindo uma rodovia provisória. Por enquanto, os motoristas terão que ir pela estrada de Campo Grande, o que acrescenta dez quilômetros ao percurso até às praias.

Em nota, o DER informou que a estrada será restaurada até o dia 10 de abril. Para o jornalista Beto Almeida, “a expectativa” é que o órgão mostre “agilidade” e não demore o mesmo período do caso da CE-163, ainda em 2017.