Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Foto: Wilson Dias/Agência Brasil

Anfitrião do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, para um jantar, em sua residência, na noite desta segunda-feira, em Brasília, o presidente Regional do MDB e ex-presidente do Senado, Eunício Oliveira, definiu o encontro como uma oportunidade para discussão de estratégias sobre a disputa pelo Palácio do Planalto e pelos Governos Estaduais.

Simpático à pré-candidatura do líder petista, Eunício mobilizou senadores e deputados federais de diferentes partidos para uma avaliação sobre o cenário atual e os caminhos que o MDB deve percorrer na corrida eleitoral. Ele defende apoio do MDB ao ex-presidente Lula e considera que o mais importante para a sigla é eleger uma expressiva bancada federal. O emedebista não acredita em candidatura de terceira via e vê o quadro polarizado entre o líder petista e o presidente Bolsonaro.

Eunício lembrou que, em 2018, o MDB lançou o ex-ministro da Fazenda, Henrique Meireles, como candidato à Presidência da República e amargou um pífio resultado nas urnas, provocando a redução da bancada no Congresso Nacional, principalmente, na Câmara Federal. Segundo Eunício, a eleição de 2022 é bem diferente e, sem um nome competitivo, o MDB deve priorizar a eleição ao Poder Legislativo.

Em entrevista ao UOL, o ex-senador cearense defendeu, ainda, que o MDB mantenha a tradição de liberar os diretórios estaduais para que, em cada Estado, sejam respeitadas as conveniências regionais para o MDB voltar ao protagonismo no Congresso Nacional. Eunício afirmou que é a favor de uma candidatura feminina, mas pondera que, no quadro atual, o MDB não tem nome competetivo ao Palácio do Planalto.

Parte da entrevista do ex-senador Eunício Oliveira (MDB) ao UOL.
Eunício fala sobre candidatura própria do MDB ao cargo de Presidente
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp