Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

A Pesquisa Nacional de Saúde 2019, revela que no Estado do Ceará, em 92,4% dos domicílios cearenses havia água canalizada em, pelo menos, um cômodo. As Regiões Sudeste, Centro-Oeste e Sul apresentaram resultados superiores à média nacional, de 99,0% ou mais, entretanto, nas Regiões Norte e Nordeste, os percentuais foram menores (91,2% e 91,1%, respectivamente).

Características dos domicílios, Ceará – 2019

Domicílios estimadosDensidade domiciliarÁgua canalizadaExistência de banheiro e esgotamento sanitárioColeta de lixo
3 milhões3 moradores92,4%41,1%80,7%

Sobre a existência de banheiro de uso exclusivo e esgotamento sanitário por rede geral de esgoto ou fossa séptica ligada à rede geral, observa-se que 41,1% (1,2 milhão) dos domicílios no Ceará possuíam essa característica. As diferenças regionais foram consideráveis: enquanto na Região Sudeste essa proporção foi 88,7%, na Região Norte situou-se em 20,8%, sendo esses os percentuais maior e menor, respectivamente. A Região Sul registrou 68,0% dos domicílios nessa condição, seguida das Regiões Centro-Oeste (55,0%) e Nordeste (42,9%). Esses são dados da Pesquisa Nacional de Saúde 2019, divulgada hoje (4) pelo IBGE.

80,2% dos domicílios cearenses receberam pelo menos uma visita de agentes de Saúde da Família

Programa do Ministério da Saúde, o Saúde da Família atende por meio das Unidades de Saúde da Família, que trabalham com um território de abrangência definido e são responsáveis pelo cadastramento e o acompanhamento da população residente na respectiva área, com atendimento prestado nas Unidades Básicas de Saúde ou no domicílio, pelos profissionais (médicos, enfermeiros, auxiliares de enfermagem e agentes comunitários de saúde) que compõem as Equipes de Saúde da Família.

Em 2019, segundo a PNS, no Ceará, 72,4% (2,2 milhões) dos domicílios eram cadastrados em Unidade de Saúde da Família. Nas duas edições da PNS, a Região Nordeste registrou a maior proporção de domicílios cadastrados (71,2% em 2019, e 64,8% em 2013), ao passo que a Região Sudeste, a menor (51,9 em 2019, e 45,9% em 2013). Nas demais, essas taxas, em 2019, foram: 58,6% na Região Centro-Oeste; 60% na Região Norte; e 64,8% na Região Sul.

Em 2019, a PNS estimou que 80,2% dos domicílios cearenses receberam pelo menos uma visita de algum desses agentes nos últimos 12 meses anteriores à data da entrevista, o equivalente a 2,4 milhões de unidades domiciliares. Em 2019, as Regiões Nordeste e Centro-Oeste apresentaram os maiores percentuais (72,4% e 71,9%, respectivamente), enquanto a Região Sul, o menor (53,5%). 

(*)com informação da A.I

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp