Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Presidente nacional do PT, a senadora Gleisi Hoffmann disse, nessa terça-feira, 31, que o Diretório Nacional do partido vai entrar com recurso junto ao Diretório petista no Ceará para derrubar a decisão da sigla no Estado de não lançar um nome ao Senado Federal nas eleições deste ano. O assunto ganhou destaque no Bate Papo Político da edição desta quarta-feira, 1º, do Jornal Alerta Geral (Rádio FM 104.3 – Expresso Grande Fortaleza + 25 emissoras no Interior).

A decisão do PT estadual foi tomada no último sábado, 28, no Encontro de Tática Eleitoral do partido. Por 200 votos a 70, os delegados decidiram que a sigla não vai lançar um nome ao Senado Federal, frustrando o desejo do senador José Pimentel de concorrer à reeleição. O maior beneficiado com a deliberação do PT estadual foi o senador Eunício Oliveira (MDB), que será oficializado na próxima sexta-feira, 3, como candidato emedebista ao Senado, e que teria “caminho livre” em sua tentativa de reeleição, já que a base aliada do governador Camilo Santana – que conta hoje com 24 partidos – só deve lançar o ex-governador Cid Gomes (PDT) como candidato ao Senado.

Saiba mais:
+ Após encontro, PT estadual decide não lançar candidato ao Senado
+ Gleisi Hoffmann quer desmanchar decisão do PT Ceará que beneficia Eunício

Para o jornalista Beto Almeida, o desejo de Gleisi de desmanchar a decisão do PT Ceará de não lançar candidato ao Senado – o que pode beneficiar Eunício -, tem “risco zero” de acontecer. Beto ainda disse que o PT estadual está “em busca de carinho”, enquanto o jornalista Luzenor de Oliveira destacou que a “chiadeira” da presidente nacional do PT pode ter sido “em nome” do senador José Pimentel.

Para justificar o “risco zero”, Beto citou que o PT “adota posturas conforme a convivência”, citando que nos estados do Maranhão e Alagoas, o partido se encontra aliado com o MDB, mesma legenda do senador Eunício Oliveira. No Ceará, porém, PT e MDB não devem firmar uma coligação formal – o governador Camilo Santana deve apoiar a candidatura de Eunício de maneira informal, tendo presença quase certa na convenção que vai homologar o nome de Eunício como candidato do MDB no Ceará ao Senado Federal.

As últimas fichas de Cid

O ex-governador Cid Gomes, provável candidato do PDT ao Senado Federal, disse que aposta todas as suas fichas no apoio do PSB à candidatura de seu irmão, Ciro Gomes (PDT), à Presidência da República. O PSB decide no próximo domingo, 5, em sua convenção nacional, em Brasília, se vai apoiar Ciro, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ou se vai adotar uma posição de neutralidade no primeiro turno das eleições presidenciais, cenário apontado como “pior possível” para a sigla, segundo o jornalista Beto Almeida.

Ciro acredita que pode romper o isolamento do PSB e ganhar o apoio do partido, mas encontra resistência em dois estados: São Paulo, onde os socialistas defendem a neutralidade, e em Pernambuco, estado historicamente ligado ao PSB, onde o diretório da legenda defende apoio a candidatura de Lula.  Caso não consiga o apoio do PSB, Ciro será obrigado a formar uma chapa pura, com um vice de seu mesmo partido.

Alckmin descarta Tasso

O pré-candidato do PSDB à Presidência da República, Geraldo Alckmin, descartou a possibilidade de formar uma chapa pura com o senador tucano Tasso Jereissati nas eleições deste ano. A justificativa em relação a rejeição ao nome de Tasso é pelo fato que uma chapa pura pode fechar canais de negociação para uma coligação mais ampla com outros partidos.

Os jornalistas Luzenor de Oliveira e Beto Almeida destacaram que Alckmin tem toda a razão de evitar compor uma chapa pura. Beto, inclusive, lembra que o ideal para Alckmin é um vice da região Nordeste, onde o tucano enfrenta maior dificuldade em conseguir conquistar o eleitorado. Um vice de Minas Gerais, segundo maior colégio eleitorado do País, também é uma alternativa para o presidenciável tucano.

Menos recursos para a Segurança Pública

Se estava difícil o Governo do Ceará atrair recursos da União para avançar nas ações de combate ao crime organizado, os próximos meses serão de mais contratempos. Isso, porque, ficaram mais escassos os recursos destinados pelo Governo Federal para os Governos Estaduais intensificarem medidas para dar mais segurança à população. Uma Medida Provisória (MP), editada, nessa terça-feira, reduz o volume de recursos das loterias federais para Segurança Pública e os destino à área de Esporte e Cultura.

Leia mais:
+ Temer reduz verba para Segurança Pública. CE é prejudicado

Câmara e Assembleia de volta ao batente

A Câmara Municipal de Fortaleza e a Assembleia Legislativa do Estado do Ceará iniciam, nesta quarta-feira, 1º, os trabalhos legislativos do segundo semestre deste ano. Na Câmara, o semestre inicia com a polêmica das taxas do alvarás de funcionamento de estabelecimentos comerciais de Fortaleza. Já na Assembleia, o retorno ocorre com trabalhos em plenário. Não há matérias previstas, porém, para serem votadas nesta quarta.

Gostou do que foi debatido no Bate Papo Político de hoje? Então clica no player abaixo e ouça as análises dos jornalistas Luzenor de Oliveira e Beto Almeida na íntegra!

BATE PAPO 01.08.2018

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp