Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

A pesquisa Datafolha para a Presidência da República, divulgada na noite dessa segunda-feira, 10, foi destaque no Bate Papo Político desta terça-feira, 11, do Jornal Alerta Geral (Rádio FM 104.3 – Expresso Grande Fortaleza + 26 emissoras no Interior). Os jornalistas Luzenor de Oliveira e Beto Almeida analisaram os números da pesquisa. Para Luzenor, a sondagem agitou os bastidores políticos. Já para Beto, a pesquisa também serviu para “tocar fogo” em um ambiente de disputa presidencial.

O jornalista Beto Almeida ressaltou que o atentado a faca sofrido pelo candidato do PSL, Jair Bolsonaro, parece não ter conseguido alavancar sua candidatura – Bolsonaro aparece com 24% na pesquisa de ontem, ou seja, só cresceu 2% – dentro da margem de erro – em relação a pesquisa Datafolha anterior, quando tinha 22%. Beto lembra, inclusive, que o índice de rejeição ao presidenciável do PSL cresceu 4 pontos percentuais em relação ao último levantamento do Datafolha. Hoje, Bolsonaro é rejeitado por 43% do eleitorado.

Haddad cresce

A novidade da pesquisa para Beto Almeida, porém, foi o crescimento do ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT). Haddad, que só deve ser oficializado como candidato à Presidência nesta terça-feira, 11, em Curitiba, já aparece com 9% das intenções de voto, cenário bem diferente da última pesquisa Datafolha, quando tinha apenas 4%.

Para Beto, “o poste” de Lula se mostra competitivo e tem potencial para embolar a disputa pelo segundo turno com Marina Silva (Rede), Geraldo Alckmin (PSDB), e Ciro Gomes (PDT), – todos estão tecnicamente empatados dentro da margem de erro, de dois pontos percentuais para mais ou para menos. Haddad, pontua Beto, registrou crescimento nas regiões Norte, Nordeste, Sudeste e Sul.

Luzenor lembra que Lula, cuja candidatura foi barrada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), liderava em todos os cenários em que aparecia como candidato. Com isso, o jornalista acredita que Haddad vai conseguir tomar alguns dos votos dos eleitores lulistas para si.

Ciro ‘herói’

O jornalista Luzenor de Oliveira chamou o candidato do PDT, Ciro Gomes, de “herói”. O motivo: Ciro se consolidou na segunda posição, com 13%, mesmo com pouco tempo de TV e com uma aliança de apenas dois partidos – o próprio PDT e o nanico partido Avante. Para ele, a razão para que Ciro continue bem colocado nas pesquisas se deve ao seu bom desempenho nos debates presidenciais e nas caminhadas de rua que tem feito.

Beto concorda com Luzenor e destaca que Ciro é um candidato que pode sim chegar ao segundo turno. Beto disse também que Geraldo Alckmin (PSDB), embora tenha crescido só 1 ponto percentual em relação a pesquisa Datafolha anterior, também se consolidou como um candidato viável. Vale lembrar que Alckmin é, dentre os presidenciáveis, o que detém do maior tempo de propaganda no Rádio e na TV. O tucano aparece, na pesquisa divulgada nessa segunda, com 10% da intenção de votos. Paralelo a isso, Luzenor e Beto destacaram o derretimento político da candidata Marina Silva, que hoje está com 11% dos votos – na pesquisa anterior, a presidenciável da Rede detinha 16% das intenções de votos e estava isolada na segunda posição.

Leia mais:
+ Datafolha: Bolsonaro, 24%; Ciro, 13%; Marina, 11%; Alckmin, 10%; Haddad, 9%
+ Simulação de 2º turno: Ciro tem maior diferença sobre Bolsonaro entre todos os candidatos
+ Datafolha: Ciro mantém menor rejeição entre candidatos com chances de ir ao 2º turno

Impacto na disputa pelo governo do Estado

Os jornalistas Luzenor de Oliveira e Beto Almeida destacaram que os cenários expostos pela pesquisa Datafolha para a disputa presidencial trazem impactos para a disputa pelo Governo do Estado. Para Beto, o mais beneficiado disso é o atual governador e candidato à reeleição, Camilo Santana (PT), que possui dois palanques dentre os presidenciáveis – Ciro (PDT) e o palanque encabeçado pelo PT, partido ao qual é filiado.

Hélio Góis (PSL), no entanto, não consegue subir nas pesquisas de intenção de voto, mesmo sendo do mesmo partido de Jair Bolsonaro, que lidera a corrida pelo Palácio do Planalto. O motivo, para Beto, pode ser o alto índice de rejeição do ex-capitão do Exército, o maior entre os candidatos à Presidência.

Já o general Guilherme Theophilo (PSDB) sofre por ainda ser pouco conhecido entre a população cearense. Além disso, o presidenciável Geraldo Alckmin (PSDB) não é um bom cabo eleitoral para Theophilo, dado o fraco desempenho histórico do PSDB na região Nordeste e no Ceará.

Ex-governador do Paraná é preso

O ex-governador do Paraná Beto Richa (PSDB) foi preso nesta terça-feira, 11, em Curitiba. Richa é candidato ao Senado. Sua esposa, Fernanda Richa, e Deonlison Roldo, seu ex-chefe de gabinete, também foram presos.

Os mandados de prisão contra Beto Richa e Fernanda Richa foram cumpridos pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco). As três prisões são temporárias, com validade de cinco dias.

Saiba mais:
+ Ex-governador do Paraná, Beto Richa é preso

Dia D para o PT

A menos de um mês do primeiro turno das eleições, o PT deve anunciar o ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, nesta terça-feira, 11, como candidato do partido à Presidência da República. Haddad deve ocupar o lugar do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que teve seu pedido de registro de candidatura barrado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) no último dia 1º. A vice de Haddad será Manuela D’Ávila (PCdoB).

O dia 11 de setembro poderia ser ainda mais movimentado para o PT. Em junho, o juiz Sergio Moro marcou justamente para hoje o interrogatório de Lula no processo da Lava Jato sobre o sítio de Atibaia (SP), em que o ex-presidente é réu. Em agosto, Moro decidiu adiar os interrogatórios do caso para novembro para “evitar a exploração eleitoral” dos interrogatórios.

Leia mais:
+ PT deve anunciar Haddad como substituto de Lula nesta terça

Confira no player abaixo o Bate Papo Político na íntegra! Os jornalistas Luzenor de Oliveira e Beto Almeida também conversaram sobre a pesquisa do Instituto Ampla/Jornal O Estado de intenção de votos para o Governo do Estado e Senado!

BATE PAPO 11.09.2018