Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

“É roubo mesmo!” – declarou o jornalista Beto Almeida ao comentar as fraudes identificadas no recebimento do auxílio emergencial. Conforme o relatório da Controladoria Geral da União (CGU), o benefício do governo foi pago de maneira indevida a mais de 600 mil servidores públicos. O assunto entrou na pauta do Bate-Papo político desta sexta-feira (14), dentro do Jornal Alerta Geral.

A CGU encontrou 680 mil 564 servidores públicos cadastrados no auxílio emergencial. De acordo com o órgão são pelo meso 14 mil 182 pagamentos beneficiados s que constam como agentes públicos federais ou pensionistas, além de 52 mil pagamentos a servidores militares ativos ou inativos e ainda 950 que são funcionários de empresas estatais e federais. O jornalista Luzenor de Oliveira comenta os dados da CGU:

“É um preço alto que o governo está pagando em função de fraudes e também (da falta) de uma operação mais rigorosa da própria Caixa Econômica Federal pra saber quem tem direito ou não ao benefício. Se quase 1 bilhão de reais foram destinados a pagamentos irregulares a servidores públicos, imagina como esse dinheiro faria diferença na vida das pessoas que precisam e estão precisado”

Beto Almeida, em sua fala, pontua que em maio a CGU identificou 396 mil servidores cadastrados e que já se registrava um prejuízo de quase 280 milhões de reais, sendo que agora os dados mostram que isso triplicou. Ele destaca que, apesar disso, o governo não conseguiu produzir mecanismos para impedir que as fraudes persistissem:

“O governo federal e também os estaduais e municipais não adotaram as medidas que anunciaram, não mostraram esforço pra fazer essa correção e principalmente fazer justiça, que é devolver esse dinheiro e cadastrar pessoas que efetivamente precisam receber o auxilio emergencial…ainda tem muito trabalhador informal, trabalho autônomo que até hoje tem tido negado o pedido de auxílio emergencial”

O jornalista Luzenor Oliveira ainda afirma que “De um lado tem fraude, tem irregularidade, tem erros e falhas do governo federal pra fiscalizar…ao invés dessa ferramenta ser aperfeiçoada, nós continuamos tendo muitas irregularidades e um rombo”. Por fim, Beto Almeida diz que apenas 78 milhões de reais daquilo que foi pago indevidamente do auxílio emergencial, foram devolvidos a União.

“Muito pouco diante do que foi desviado, eu diria que isso não é só uma fraude, é roubo mesmo. Porque você está tirando dinheiro de quem precisa”

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp