Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O BNDES vai criar um mecanismo de fast track para agilizar a análise e a liberação de recursos para Estados e Municípios que demandarem financiamentos para a área de segurança.

O prazo médio para a concessão de crédito pelo banco é de seis meses, desde o protocolo do pedido, passando pelo trâmite burocrático que incluiu análise, enquadramento, aprovação e liberação. A meta agora é reduzir esse prazo para cerca de dois meses.

Um grupo de trabalho para cuidar de perto do tema foi criado pelo banco na última segunda-feira e já nasce com a missão de acelerar o trâmite burocrático para a concessão do empréstimo. Para viabilizar a redução do prazo de liberação de recursos para a área de segurança, o banco pretende criar uma espécie de modelo padrão para itens financiáveis.

A ideia é que esses pedidos “padronizados” de financiamentos feitos por Estados e municípios possam ser atendidos pela linha Finame, voltada para empréstimos destinados à aquisição de máquinas e equipamentos. Se o banco faz um esforço interno para ajudar Estados e cidades, os entes federativos terão que fazer o dever de casa e correr contra o tempo na apresentação de seus pedidos para serem contemplados pelos empréstimos.

Como há eleição e outubro, os recursos só poderão ser liberados para os Estados e prefeitura até julho, sendo que as cidades poderão retomar os pedidos após o pleito. Já os Estados, segundo o BNDES, só poderão retomar os pedidos no ano de 2019.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp