Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Após a ameaça de uma nova greve dos caminhoneiros, o presidente Jair Bolsonaro anunciou o lançamento do “cartão-caminhoneiro“, que vai espera garantir a compra de combustível, pelos motoristas de carga, sem a variação oscilante do preço do óleo diesel, uma das principais reclamações da categoria. O cartão já vinha sendo anunciado pela Petrobrás.

O anúncio foi feito nessa quinta-feira (29), por meio de uma transmissão ao vivo no Facebook.

Bolsonaro garantiu que o cartão estará pronto em até 90 dias. Segundo o presidente, a medida é uma vantagem para os caminhoneiros, porque garante que seu frete não será consumido por possíveis reajustes no preço do óleo diesel. “Isso é uma vantagem, garante a ele que seu frete não será consumido por possíveis reajuste no preço do óleo diesel“, afirmou o presidente.

Resposta

Por outro lado, os caminhoneiros estão divididos sobre uma possível greve. Em entrevista ao Portal R7, na última quarta-feira (26) – quando a Petrobrás já havia anunciado o cartão -, um dos principais líderes da categoria, Wallace Costa Landim, relata que o congelamento no preço do diesel por períodos de 15 dias e o ‘cartão-caminhoneiro’ não são suficientes para evitar a greve.

Landim afirma haver de 15 a 20 grupos de articulação pela paralisação no WhatsApp. Eles fogem ao controle de lideranças sindicais com as quais o governo tem conversado para tentar evitar a paralisação. Os caminhoneiros pedem que o preço do diesel fique congelado por pelo menos 30 dias e seja reduzido. Eles também negociam mais rigor na cobrança de fretes e construção das paradas para descanso.