Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

A Secretaria da Proteção Social, Justiça, Cidadania, Mulheres e Direitos Humanos (SPS) tem buscado abrir espaços de diálogo para a construção de políticas públicas para a pessoa idosa e a pessoa com deficiência. Uma dessas ações é o Café Inclusivo, encontros que abordam temas diversos vinculados a essas temáticas. Nesta quinta, a SPS, por meio da Coordenadoria Especial de Políticas para a Pessoa Idosa e a Pessoa com Deficiência, promove o terceiro encontro, às 9h, no auditório da Escola do Centro Integrado de Educação, Ciência e Assistência Social (CIES), em Maracanaú.

Neste encontro, o tema é o enfrentamento à violência contra a pessoa com deficiência.

“Precisamos falar sobre a violência contra a pessoa com deficiência, que acontece tanto dentro de casa como fora dela. Pensar em políticas que contemplem as necessidades desta população, entender quais as principais demandas e como podemos transformá-las em políticas públicas. A partir das discussões que estamos realizando vamos construir uma proposta de ação”, frisa a coordenadora especial de Políticas Públicas para as Pessoas Idosas e as Pessoas com Deficiência da SPS, Vyna Leite.

O Café Inclusivo também aconteceu no Centro de Referência para Idosos da Barra do Ceará e no município de Novo Oriente. O próximo encontro, cujo tema é “O que é um Conselho de Direito e qual o papel do Conselheiro”, ocorrerá em Paracuru, no dia 30/10. Em novembro, o evento será na Defensoria Pública do Ceará, nos dias 01/11 e 08/11, com o tema Comunicação Acessível (libras).

Denúncias

O Disque 100, serviço de denúncias do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, registrou 11.752 casos de violência contra pessoas com deficiência em 2018. O balanço apontou aumento de 0,60% nas denúncias comparado ao ano anterior. Os dados apontam que os irmãos são os que mais cometem a violência (19,6%), seguidos por mães e pais (12,7%), filhos (10%), vizinhos (4,2%), outros familiares (20,7%) e pessoas com relações de convivência comunitária (2,3%).

 

 

 

 

(*)com informação do Governo do Estado do Ceará

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp