Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

A Câmara dos Deputados aprovou na noite dessa terça-feira,  projeto que pune com multa de até R$ 1 milhão operadoras de serviço de celular que não instalarem bloqueadores de sinais em áreas de presídios. A proposta, aprovada em votação simbólica, faz parte do pacote de seis propostas na área de segurança pública que o presidente da Casa, Rodrigo Maia, quer votar nesta semana. A matéria seguiu para análise do Senado.

O projeto diz que as empresas de telefonia e operadores deverão instalar, em até 180 dias após a sanção da lei, equipamentos tecnológicos ou solução tecnológica hábil a bloquear sinais de telecomunicações e radiocomunicações nos estabelecimentos penais e nos socioeducativos que abrigam adolescentes infratores, para impedir a comunicação por telefones móveis e a utilização de internet por detentos e por menores apreendidos nesses locais.

 As operadoras serão obrigadas a arcar com os custos da manutenção e atualização tecnológica dos equipamentos. As empresas que não cumprirem a determinação estarão sujeitas a pagar, individualmente, multa mínima de R$ 50 mil e máxima de R$ 1 milhão por cada estabelecimento penal ou socioeducativo em que o bloqueador não estiver em pleno funcionamento, segundo a proposta aprovada.

O projeto estabelece ainda que compete à Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) editar, em até 90 dias, o regulamento para a lei, bem como fiscalizar a instalação e condições de funcionamento dos equipamentos.  Uma lei aprovada pela Assembleia Legislativa, que tornava obrigatória a instalação de bloqueadores de celulares nos presídios do Ceará, foi derrubada no Superior Tribunal de Justiça, STJ, pelas empresas de telefonia móvel.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp