Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O candidato à presidência da República, Jair Bolsonaro, foi agredido durante um ato de campanha, em Juiz de Fora (MG), nesta tarde (6). A assessoria da Polícia Militar de Minas Gerais confirmou que o candidato foi retirado do local por populares e levado para atendimento em Hospital Santal Casa em Juiz de Fora e que uma pessoa foi detida.

Em sua conta no Twitter, o filho de Bolsonaro, Flávio Bolsonaro, escreveu há pouco que seu pai foi esfaqueado, mas não corre risco de morte. “Jair Bolsonaro sofreu um atentado agora em Juiz de Fora, uma estocada com faca na região do abdômen. Graças a Deus, foi apenas superficial e ele passa bem”.

Imagens do momento em que Jair Bolsonaro é puxado no meio de uma multidão já circulam na internet, mas não são conclusivas.

Presidenciáveis lamentam ocorrido

O candidato a vice na chapa presidencial do PT, Fernando Haddad, e os candidatos a presidente do PDT, Ciro Gomes, do Novo, João Amoêdo, do Psol, Guilherme Boulos, e do Podemos, Alvaro Dias, lamentaram o atentado contra o presidenciável do PSL,Jair Bolsonaro, em Juiz de Fora (MG).
Haddad participava de uma sabatina promovida pelo sites Congresso em Foco e MyNews quando foi informado do ataque.
— É lastimável, um absurdo — afirmou, logo depois de um dos jornalistas lhe relatar a ocorrência do atentado.
O petista ainda acrescentou que as diferenças com Bolsonaro devem ficar de lado.
— A pessoa tem as suas idiosincrasias, mas nós democratas temos que garantir um processo democrático.
Não se pode entrar em provocação.
Já Ciro se manifestou pelo Twitter. “Acabo de ser informado em Caruaru, Pernambuco, onde estou, que o deputado Jair Bolsonaro sofreu um ferimento a faca. Repudio a violência como linguagem política, solidarizo-me com meu opositor e exijo que as autoridades identifiquem e punam os responsáveis por esta barbárie”, disse.
Também pelo Twitter, Amoêdo, do Novo disse que é “lamentável e inaceitável o que aconteceu com o Jair Bolsonaro”. “Independentemente de divergências políticas, não é possível aceitar nenhum ato de violência. Que o agressor sofra as devidas punições. Meus votos de melhoras para o candidato”, acrescentou.
Em seu perfil, Boulos, do Psol, afirmou: “Soube agora do que ocorreu com Bolsonaro em Minas. A violência não se justifica, não pode tomar o lugar do debate político. Repudiamos toda e qualquer ação de ódio e cobramos investigação sobre o fato”.
Alvaro Dias, do Podemos, também se posicionou no Twitter. “Sobre o episódio da facada no candidato Jair Bolsonaro, quero afirmar aqui que repudio todo e qualquer ato de violência. Por isso a violência nunca deve ser estimulada. Eu não estimulo.”

Abaixo, vídeos do atentado ao candidato.

 

 

Com informações Agência Brasil e O Globo