Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

As famílias pobres que dependem de programas sociais do Governo Federal devem ficar atentas para manter atualizados dados do Cadastro Único, o chamado CadÚnico. O sistema é a  porta de entrada da população mais carente para os benefícios sociais. Entre esses benefícios, estão a tarifa social de energia elétrica, o Bolsa Família e a carteira do idoso.

Manter as informações em dia é a garantia de acesso a esses auxílios. Somente, com o Bolsa Família, são 1 milhão e 47 mil famílias beneficiadas. O  CadÚnico, que foi criado em 2001, conta com 15 programas sociais do governo e, para quem deseja manter os benefícios ou alcança-los, o primeiro passo é buscar orientação no Centro de Referência de Assistência Social (Cras) em cada município do Interior do Estado ou da Grande Fortaleza. Em muitas localidades, o próprio Cras faz o cadastramento.

A manutenção do cadastro é por conta da Caixa Econômica Federal, enquanto o Ministério da Cidade fica responsável por gerir as informações. Uma observação importante: ter o CadÚnico não é garantia do acesso aos programas sociais. Caso seja selecionada, a manutenção do cadastro atualizado permite a participação. Do contrário, o benefício pode ser interrompido. Por isso, as famílias devem informar mudança de endereço ou de apenas algum membro, vínculos trabalhistas ou de renda.

Outra questão: o CadÚnico é o caminho, também, para programas estaduais e municipais. Além disso, vítimas de desastres devem fazer o cadastro para ter acesso a fundos de emergência para a população.

Confira as informações com o correspondente do Jornal Alerta Geral, Sátiro Sales:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp