Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

A ainda lenta recuperação dos serviços fez com que a Confederação Nacional do Comércio de Bens Serviços e Turismo (CNC) voltasse a prever uma retração de 5,9% no volume de receitas do setor em 2020. A estimativa tem como base os dados da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) de agosto, divulgada nessa quarta-feira (14) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

De acordo com o jornalista Carlos Alberto Alencar, em sua participação no Jornal Alerta Geral desta quinta-feira (15),o percentual de redução previsto pela CNC já havia sido apontado pela entidade há três meses, a partir da PMS de maio. A previsão imediatamente anterior era de -5,6%. O presidente da Confederação, José Roberto Tadros, destaca que as recentes altas mensais dos serviços indicam uma perspectiva de reação no médio prazo, mas alerta que a evolução do setor ainda se apresenta mais lenta do que a dos demais segmentos.

Confira na íntegra o comentário do jornalista Carlos Alberto Alencar: