Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

A Confederação Nacional dos Transportes (CNT), emitiu nota sobre a política de mudança de preço dos combustíveis executada pela Petrobrás.

Carga tributária e preços internacionais para óleo diesel não podem sufocar os transportadores.

  1. A política de preços adotada pela Petrobras em suas refinarias, que acompanha a alta das cotações internacionais do petróleo, é uma medida desproporcional pois ela tem custos internos e não internacionais.
  2. Transportadores não podem responder pela ineficiência da Petrobras e pela corrupção que ocorreu na estatal.
  3. Países autossufientes na produção de petróleo praticam preços do óleo diesel mais baratos.
  4. Em comparação a outros países que possuem perfil similar ao desenvolvimento econômico brasileiro, como Rússia e México, o preço do óleo diesel no Brasil é superior. O óleo diesel cobrado no Brasil é, em média, 15% superior ao cobrado nos Estados Unidos, sendo que a renda média neste país é 6 vezes maior que a do brasileiro.
  5. A política de preços de combustível deve considerar as condições econômicas do Brasil.
  6. Esta política equivocada e desastrosa não poderia ter sido implantada em pior momento para o setor transportador, que ainda luta para superar as perdas da forte recessão econômica.
  7. Os sucessivos aumentos do óleo diesel comprometem com mais intensidade o transporte   rodoviário, que responde pelo tráfego de 90% dos passageiros e por mais de 60% da movimentação de bens e produtos no Brasil.
  8.  A solução apresentada, até o momento pelo governo, em nada contribuirá para garantir as condições mínimas de operação do transporte rodoviário de cargas e passageiros no país. A retirada da CIDE sobre o óleo diesel terá impacto irrisório no preço final do combustível.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp