Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Lideranças comunitárias do Lagamar do Cauipe que serão afetadas pela obra de perfuração de 35 poços feitos pela Companhia de Gestão e Recursos Hídricos (Cogerh), reafirmam que não vão permitir que a água seja retirada e levada para as indústrias do Complexo Portuário do Pecém. A decisão foi tomada em audiência pública na Câmara Municipal de Caucaia, na última sexta-feira, 10.

Com o objetivo de achar um meio para que as obras – que já foram iniciadas – sejam concluídas e que a população do Lagamar não fique sem água a Câmara, por intermédio do vereador Léo do Zé Almir, convidou lideranças comunitárias do local e representantes do Governo do Estado para debaterem e chegarem a um acordo sobre o assunto. Mas a resposta dos moradores foi de que, mesmo após tudo que a Companhia de Gestão de Recursos Hídricos (Cogerh) – executora da obra – apresentou durante a reunião, eles não estão dispostos a cederem o recurso.

Em agost, a Cogerh chegou na localidade para anunciar que seriam construídas tubulações que levariam a água do Lagamar do Cauípe para o abastecimento do Complexo Industrial do Pecém e que, em troca do recurso, seriam perfurados para a população.

No dia 24 de novembro o assunto será debatido novamente, desta vez na Assembleia Legislativa do Estado.