Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Condenado no julgamento do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, em Porto Alegre a doze anos e um mês de prisão em regime fechado, o ex-presidente Lula ainda responderá por outras seis ações penais, além de ser investigado em mais duas denúncias.

Em sete ocasiões as investigações do Ministério Público levaram à abertura de uma ação penal contra o ex-presidente Lula. Fora o caso do triplex no Guarujá, pelo qual Lula já foi condenado, ele ainda responde pelos seguintes casos: obstrução da justiça. O ex-senador petista Delcídio do Amaral o acusou de maquinar para que o ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró aceitasse um acordo de delação premiada.

 

O caso do favorecimento da Odebrecht no BNDS; O caso Lulinha, onde os procuradores afirmam que Lula, seu filho Luís Cláudio Lula da Silva e os consultores Mauro Marcondes e Cristina Mautoni participaram de negociações irregulares no contrato de compra de 36 caças Gripen, da empresa sueca Saab.

Tem ainda o caso do Instituto Lula. onde Lula teria recebido propina da Odebrecht por intermédio de Palocci. O dinheiro teria sido usado para comprar um terreno, onde seria construída a sede do Instituto Lula e um apartamento.

O caso do sítio em Atibaia onde ele teria sido beneficiado num esquema de cerca de R$ 1 milhão envolvendo reformas do sítio Santa Barbara no município de Atibaia (SP), que teoricamente pertenceria a Lula e o caso da venda das Medidas Provisórias. Contra Lula ainda existem duas denúncias. Em uma ele é acusado de criar esquema que chegou a desviar quase R$ 1 bilhão e meio, além de beneficiar outros partidos como o PP e PMDB na Câmara e no Senado.

Lula ainda é acusado de obstruir a justiça, junto com Dilma no caso de sua indicação ao Ministério da Casa Civil em março de 2016. Na ocasião, o juiz Sergio Moro vazou áudios de conversas entre Lula e Dilma o que gerou uma grande repercussão popular.

Com agências de notícias