Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) já contabiliza sete processos abertos contra o frigorífico JBS, desde que foram divulgadas as denúncias de Joesley Batista, um dos sócios da empresa, contra o presidente Michel Temer. O primeiro processo foi aberto no dia 17 deste mês e o último, na sexta-feira, 26.

Em sua página na internet, a CVM informa apenas que o último processo foi motivado por notícias, fatos relevantes e comunicados, a mesma justificativa dos demais. A única exceção é o processo aberto no dia 19 por conta de reclamação de investidor. Não foram informados os detalhes das apurações.

Um dos processos abertos na semana passada trata da “veracidade da divulgação dos controladores diretos e indiretos, até os controladores que sejam pessoas naturais, da Blessed Holdings”, que está no grupo de controle da JBS.

Anteriormente, a autarquia havia iniciado cinco ações para apurar a atuação da JBS no mercado de dólar futuro; obter explicações sobre a movimentações do banco Original, também do grupo, no mercado derivativo; entender negociações do acionista controlador – a FB Participações – com ações da companhia, além de pedir esclarecimento sobre as delações.

Com informações O Estado de São Paulo