Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Faltando um ano para o inicio das eleições municipais, o PSL, partido do presidente Jair Bolsonaro, começa a discutir medidas para evitar novos constrangimentos, como as denúncias de candidaturas laranjas. Outro assunto que preocupa as lideranças do partido são as disputas internas entre integrantes da legenda atacando o próprio governo e votando contra a orientação partidária.

No Jornal Alerta Geral desta segunda-feira (29) os jornalistas Luzenor de Oliveira e Beto Almeida comentaram sobre casos envolvendo integrantes do partido. Um deles, a polêmica envolvendo os deputados Heitor Freire, André Fernandes e Delegado Cavalcanti. André saiu com saldo negativo e perdeu o comando da executiva do PSL em Fortaleza.

Ainda no Ceará, o presidente da legenda, Heitor Freire, exonerou Diego Cavan Marques da presidência da Comissão Provisória de Massapê ao descobrir que ele usava tornozeleira eletrônica após ser sentenciado por apropriação indébita. Segundo o jornalista Beto Almeida, ele foi retirado da função em 29 de junho e não está mais filiado ao PSL.

No cenário nacional, em junho, a Polícia Federal (PF) prendeu temporariamente Mateus Von Rondon, então assessor especial do Ministério do Turismo, sob suspeita de envolvimento no esquema. Dias depois, ele foi solto e mantido no cargo. Assim, o partido do presidente tenta, nos próximos dias, reestruturar suas bases já pensando nas eleições municipais de 2020.