Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

A defesa dos citados nas delações da Odebrecht pediram ao Supremo Tribunal Federal (STF) para tirar da Justiça Federal do Paraná metade das 38 petições enviadas ao Estado sobre os episódios relatados pelos executivos.

Elas querem que os documentos tramitem no âmbito de outros órgãos do Judiciário, como o próprio Supremo ou as Justiças Federais de São Paulo e do Distrito Federal. São 19 casos em que houve pedidos de tramitações em outros juízos. Neles, são mencionados políticos como o ex-presidente Lula, o ex-ministro da fazenda, Guido Mantega, o ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha (MDB-RJ) e o presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf.

Destes, oito foram atendidos ao menos parcialmente pelo Supremo. Outros seis foram negados. O restante aguarda análise da corte. Todos os citados que tentam a transferência das petições negam ter cometido crimes. Mas pesa também nos pedidos a velocidade e rigidez com que os casos são tratados no Paraná. Lula é o mais citado nas petições (oito). Em todos os casos, solicitou que fossem enviadas a outros locais.

Com informações do Jornal Folha de São Paulo