Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Há mais de 50 dias, manchas de petróleo cru contaminam a orla nordestina e já atingiram 26 praias do Ceará. Mais cinco pontos de banho foram confirmados com a substância: Cofeco, em Fortaleza; Barro Preto, em Aquiraz; Tabubinhae Praia das Fontes, em Beberibe; e Majorlândia, em Aracati. As informações são da Superintendência Estadual do Meio Ambiente (Semace). Durante este sábado (26), dez mergulhadores do grupo Mar do Ceará tentam recolher a substância identificada no fundo do mar, a cerca de 10km da costa da Praia de Quixaba, em Aracati. No total, quatro toneladas já foram retiradas das praias de todo o Estado.

O material encontrado vai ser recolhido e a ele dada a destinação correta. Será uma primeira varredura no fundo do mar, porque esse tipo de poluição é muito dinâmica: sabemos que existe óleo afundado, mas a localização é imprecisa, por causa das correntes marítimas. Um ponto poluído ontem pode ter mudado de local hoje, explica Lincoln Davi, diretor de Controle e Proteção Ambiental da Semace.

De acordo com o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), até a terça-feira (22), havia sido recolhido um total de 1,7 tonelada de resíduos (óleo + areia aderida) das praias cearenses.

A ação é importante principalmente após o alerta de que a substância que tem poluído as praias nordestinas é tóxica e cancerígena. Banhistas e voluntários envolvidos nas ações, bem como espécies marinhas, podem ser contaminados por três vias: ingestão, inalação e subcutâneo (pele). O Governo do Estado afirma que são realizados sobrevoos diários nas costas leste e oeste cearenses para buscar o material.

 

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp