Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

A lentidão e a omissão dos gestores que passam pelas Prefeituras despreocupados com a prestação de contas e contrapartidas em obras dos Governos Estadual e Federal acabam por gerar sérios prejuízos aos moradores de comunidades que mais pre-cisam dos serviços ofertados pelo poder público. O des-caso é completo e Caucaia é exemplo da má condução das negociações que poderiam ter

garantido importantes obras para o Município durante os 8 anos de mandatos do prefeito Washington Gois. De Brasília, chegam as informações sobre a suspensão de verbas porque a Prefeitura deixou de prestar contas em 2015 e 2016 de recursos transferidos pela União. A conta cai no colo da população pobre que precisa da mão do poder público para dispor de melhores condições de vida.

PREJUÍZOS

O Secretário de Infraestrutura Kleber Correia revelou, nessa última terça-feira, durante ses-são na Câmara de Vereadores, os prejuízos causados pelo dinheiro que a prefeitura está devolvendo aos cofres da União porque no passado recente o Município não apresentou pro-jeto de obras que poderiam ser construídas e hoje beneficiarem a população. Uma das obras que ficaram no papel: o Banco de Alimentos, orçado em R$ 170.000,00.

VOZ EM BRASÍLIA

O deputado federal Danilo Forte (PSB) assumiu a condição de porta voz do Município de Caucaia em Brasília. Danilo tem levado projetos e atendido a pedidos do prefeito Naumi para tentar agilizar junto ao Governo Federal a liberação de recursos para o Município. Ele foi, também, ao Governador Camilo Santana para o Estado retomar obras em Caucaia, como o Mercado das Malvinas.

EM DIA

O presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB), retomou a agenda em Brasília após uma série de exames médicos e, em conversa, por telefone com cor-religionários, anunciou que, no final de maio, serão retomadas as reuniões com as lideranças do PSDB, PR, SD, PMB e PSD com vistas às eleições de 2018. Eunício está na disputa: como candidato a governador ou a senador.

DISTANCIAMENTO

O pedido de suplementação orçamentária da Prefeitura aprovado pela Câmara Muni-cipal retrata o distanciamento entre o prefeito Naumi e a vice Lívia Arruda. O gabinete da vice-prefeitura ficou com uma verba irrisória (R$ 1.000,00) na suplementação de recursos do Orçamento de 2017. Alguns podem até dizer que a vice não precisa de mais recursos. Para outros, porém, a história é bem diferente. Aos aliados, tudo. Aos desafetos, nada! Domingos comanda TCM e mira 2018