Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

A taxa de desemprego no Brasil, no período de abril, maio e junho de 2019, ficou em 12%, o que resulta numa redução de 0,7% em comparação ao trimestre anterior. No período anterior (janeiro, fevereiro e março), a taxa tinha ficado em 12,7%.

Também teve queda no uso de mão de obra. No período encerrado em junho, a taxa de utilização foi 24,8%.

Nos 3 meses anterior, essa taxa chegou a 25 ponto percentual. No ano passado, no trimestre finalizado em junho, as taxas de desocupação e subutilização foram respectivamente 12,4% e 25,5%.

Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio – Contínua (Pnad Contínua), divulgada hoje (31), no Rio de Janeiro, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Há 12,8 milhões de pessoas sem trabalho no país e 28,4 milhões que trabalham menos horas do que poderiam. O rendimento real habitual apresentou queda de 1,3%, caindo de R$ 2.321 no primeiro trimestre do ano para R$ 2.290 na última medição. O número de desalentados – pessoas que desistiram de procurar trabalho – se manteve recorde no percentual da força de trabalho, com 4,4%, o que soma 4,9 milhões.