can i windows 10 but not install it microsoft project professional 2016 office 365 free windows 10 enterprise compare pro free microsoft project 2013 open multiple windows free bitlocker download windows 8.1 free linux operating system free download for windows 8 free

O Governo calcula que sem a reforma da Previdência, Estados e municípios terão que dispor de 85% do PIB para arcar com as despesas nos próximos anos. O percentual supera a dívida pública no mercado, de 73% do PIB. A informações são do Jornal Folha de S. Paulo.

A cifra é superior a R$ 5 trilhões e considera as despesas que Estados e municípios terão nos próximos 75 anos, segundo as regras atuais de acesso a aposentadoria e pensão. O número ilustra a dificuldade que os entes subnacionais terão para honrar esses compromissos.

O déficit orçamentário dos Estados, está sendo agravado pelo rápido envelhecimento dos servidores, levando a gastos crescentes dos regimes próprios. Sem alterar a tendência de aumento de gastos com a Previdência, a crise se espalhará em 2018 e 2019 para mais Estados e outros servidores poderão ficar sem receber.

O governo decidiu retirar os funcionários estaduais da reforma temendo a reação adversa de governadores. Como paliativo, incluiu na proposta a obrigação para Estados e municípios fazerem suas próprias mudanças em seis meses. Senão, seus regimes de Previdência passarão a seguir as regras federais. Isso, porém, não é o bastante para ajudar os Estados, na avaliação dos economistas.

Para especialistas, o governo deveria incluir na proposta a possibilidade de governadores cobrarem uma contribuição extra temporária para bancar deficit previdenciários. Mesmo com déficit de R$ 12 bilhões na Previdência, o Rio teve dificuldades em aprovar um reajuste de 11% para 14% na contribuição de servidores. O percentual necessário para bancar as aposentadorias e pensões, porém, alcançava 20%.