Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O Ceará ganha destaque nacional, pela primeira vez, em 30 anos, na área de segurança pública, com a redução dos índices de homicídios. Um levantamento do Monitor da Violência, elaborado pelo G1, mostra que, nos meses de janeiro e fevereiro deste ano, o Ceará registrou 355 assassinatos, uma queda de 57,9% se comparado com o mesmo período de 2018, quando aconteceram 844 homicídios.

O Monitor da Violência constatou, nesse levantamento, que, em todo o Brasil, houve, nos meses de janeiro e fevereiro, uma diminuição de 25% no número de assassinatos – nesse período, o país registrou 6.856 mortes. Foram 2.000 homicídios a menos em relação ao ano de 2018. Os primeiros dois meses deste ano foram marcados por uma sequência de atentados a prédios públicos e ao patrimônio particular como represália às ações adotadas pelo Governo Estadual contra os grupos criminosos.

Ao iniciar o segundo mandato, no dia primeiro de janeiro, o governador Camilo Santana (PT) deu carta branca ao Secretário de Administração Penitenciária, Mauro Albuquerque, para fazer uma limpeza nos presídios – retirada de regalias, como, por exemplo, aparelhos de televisão em celas e celulares.

Consequência

A apreensão dos celulares representou um golpe na comunicação, neutralizando o contato de presos com comparsas que agiam nas ruas a mando dos líderes das organizações criminosas. As medidas tiveram êxito após o Governo Federal, a pedido de Camilo Santana, encaminhar a Força Nacional ao Ceará para neutralizar os atentados e a atuação dos grupos criminosos.

Outra medida que também ajudou na redução dos índices de assassinatos foi a transferência de presos de cadeias públicas do Interior do Estado para presídios localizados na Região Metropolitana de Fortaleza. Com essa transferência, o Governo cortou a comunicação e desmontou, assim, as articulações para o comércio de drogas, principalmente, o crack e a execução de assassinatos.

A queda no número de homicídios pode ser atribuída, em parte, às ações implementadas pelo Governo do Estado no combate às facções criminosas. Segundo o Secretário da Segurança Pública e Defesa Social, André Costa, em entrevista ao G1, a diminuição de assassinatos é resultado de um conjunto de ações e estratégias iniciadas ainda em 2017.

O estudioso da violência no Ceará, Luiz Fábio Paiva, também em entrevista ao G1, aponta que a redução dos homicídios ocorreu devido a um acordo entre facções criminosas que se uniram para atacar órgãos do estado no início do ano. Os levantamentos do Governo do Estado apontam que 2019 pode ser o ano com o menor número de homicídios dos últimos 15 anos no Ceará.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp