Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O diagnóstico do paciente que está com suspeita de coronavírus no Ceará deve sair em até 24 horas. De acordo com o Secretário da Saúde do Ceará (Sesa), Doutor Cabeto, as amostras dos exames do engenheiro que mora em Sobral, interior do estado, serão encaminhadas ao laboratório da FioCruz, no Rio de Janeiro, ainda nesta quinta-feira (30). A Sesa realiza uma reunião de emergência nesta quinta para traçar medidas a respeito da doença.

Nessa quarta-feira (29), o Ministério da Saúde confirmou que o homem está com suspeita de coronavírus. Em todo o Brasil, são nove suspeitas de pessoas contaminadas em seis estados; não há confirmação de nenhum caso do vírus no país, conforme o ministério. Desde 18 de janeiro, o país descartou 4 casos.

O engenheiro está isolado em um hospital particular de Sobral, mas a transferência dele para o Hospital Regional Norte já foi autorizada. A assessora técnica da Secretaria da Saúde, Magda Almeida, disse que, caso o quadro se agrave, o paciente pode ser encaminhado para o Hospital São José de Doenças Infecciosas, em Fortaleza, unidade especializada no tratamento de doenças infecto-contagiosas.

Apesar de ser natural do Rio de Janeiro, o engenheiro mora em Sobral, há pelo menos duas décadas. Ele estava a trabalho na China, onde passou 90 dias. Ao retornar para o Ceará, foi orientado pela empresa a procurar uma unidade de saúde.

Além disso, a assessora da Sesa informou que o órgão já realizou um mapeamento de todas as unidades do estado que podem receber pacientes com quadro de coronavírus.

O coronavírus foi detectado inicialmente na China, se espalhou por países asiáticos e em seguida pela Europa e América. A nova epidemia já matou 132 pessoas e infectou mais de 6 mil em pelo menos 18 países, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS). As infecções causadas por coronavírus nestas primeiras semanas de epidemia já superaram aquelas causadas por outro vírus da mesma família, o Sars, que entre 2002 e 2003 matou mais de 900 pessoas.

Apesar das medidas de prevenção e isolamento decretadas pelo governo chinês, os casos confirmados de coronavírus no país já superam os da epidemia da Sars, ocorrida há quase 20 anos.

Nessa quarta-feira, as autoridades de saúde anunciaram mais 26 mortes, o que eleva o balanço do coronavírus a 132 vítimas fatais, e 5.974 casos confirmados na China continental (sem contar Hong Kong, Macau e Taiwan). A cifra já supera o número de infecções da epidemia de Síndrome Respiratória Aguda Grave (Sars) de 2002 e 2003, outro coronavírus que contaminou 5.327 pessoas no país. A Sars deixou 774 mortos no mundo, 349 deles na China continental.

Ainda não se sabe como se deu a primeira transmissão para humanos, a suspeita é que foi por algum animal silvestre, mas ainda não se sabe qual foi o responsável nem como ele transmitiu a doença, e nem mesmo se o novo vírus está associado a animais marinhos. Entretanto, uma pesquisa de cientistas chineses diz que a hipótese mais provável é que o animal seja uma cobra.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp