Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

As declarações do ex-ministro Antonio Palocci em seu interrogatório na quarta-feira são uma “ficção”, disse a ex-presidente Dilma Rousseff (PT) em comunicado divulgado por sua assessoria de imprensa nessa quinta-feira. Réu em um processo sobre um esquema de corrupção envolvendo oito contratos entre a empreiteira Odebrecht e a Petrobras, Palocci foi ministro dos governos de Dilma e de Luiz Inácio Lula da Silva, que também é acusado na ação penal que tramita na Justiça Federal no Paraná, sob responsabilidade do juiz Sergio Moro.

Na audiência, o ex-ministro disse que que havia um “pacto de sangue” entre o PT e a Odebrecht criado na transição entre os governos Lula e Dilma. Segundo Palocci, a Odebrecht ofereceu um “pacote de propinas” que incluía R$ 300 milhões para o PT e Lula. O ex-ministro disse ainda que o “pacote” foi oferecido porque a Odebrecht tinha preocupação que a relação da empresa com o governo Dilma fosse menos “fluída” que com Lula.

Segundo a nota: Palocci falta com a verdade quando aponta o envolvimento de Dilma em supostas reuniões de governo para tratar de facilidades à empresa Odebrecht seja durante o mandato do presidente Lula ou no primeiro governo dela. Diz ainda que tais encontros ou tratativas relatadas pelo ex-ministro jamais ocorreram. Relatos de repasses de propinas também são uma mentira.