Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Três homens foram presos nessa terça-feira (1º) em Quixeramobim, no interior do Ceará, suspeitos de participação em um esquema interestadual de golpes aplicados por presos com celular no Rio de Janeiro. Durante a operação “Tentáculos”, os policiais acompanharam a atuação dos suspeitos no interior de um agência bancária, onde dois foram presos sacando o valor de R$ 5 mil oriundos de estelionatos. Por dia, o valor obtido com o crime chegava a R$ 30 mil.

Segundo o delegado André Firmino, os três presos eram encarregados de sacar nos bancos o dinheiro obtido pelos presos nas “mais variadas modalidades de golpes aplicados”.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), o grupo era investigado há cerca de dois meses. Conforme as investigações, “grandes numerários em dinheiro eram depositados, por pessoas no estado do Rio de Janeiro, em contas de pessoas recrutadas na cidade de Quixeramobim”, no interior do Ceará.

As pessoas que atuavam em Quixeramobim retiravam das agências bancárias de R$ 20 a R$ 30 mil por dia. Eles recebiam uma parte do valor em troca dos saques. Ainda conforme a investigação, entre os presos está o responsável pelo “recrutamento” de pessoas que cederiam a conta bancária para a prática criminosa.

Os policiais apreenderam com o grupo o valor de R$ 5 mil, depositado na conta de um deles por uma vítima de golpe aplicado por um preso, via celular; diversos extratos bancários contendo as movimentações dos criminosos, três aparelhos de celulares, 15 cartões de diferentes contas bancárias, além de dezenas de senhas e numerações de contas, que seriam utilizadas na ação delituosa

Os três presos foram encaminhado para a sede da Delegacia Municipal de Quixeramobim, onde foi autuado em flagrante por associação criminosa e lavagem ou ocultação de bens, direitos e valores. Em seguida, os três homens foram conduzidos para a Cadeia Pública da cidade, onde estão à disposição da Justiça. A Polícia Civil mantém as investigações, no intuito de prender os demais envolvidos no grupo.

Com informações G1 – CE