Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Em 2017, a dorsalgia (nome técnico para dor nas costas) foi a doença que mais afastou os brasileiros dos postos de trabalho. Foram 83,8 mil casos. Nos últimos dez anos, a enfermidade tem liderado a lista de doenças mais frequentes entre os auxílios-doença concedidos pelo INSS. Em segundo lugar está fratura de perna, incluindo tornozelo, com 79,5 mil casos, seguido por fratura ao nível do punho e da mão, com registro de 60,3 mil casos.

Os transtornos mentais e comportamentais também têm afastado muitos trabalhadores. Episódios depressivos, por exemplo, geraram 43,3 mil auxílios-doença em 2017 – foi a 10ª doença com mais afastamentos.  Os dados do INSS mostram o mapa da situação de saúde dos trabalhadores brasileiros beneficiados com auxílios-doença previdenciários.

Segundo o Instituto, os auxílios acidentários, aqueles decorrentes de acidente ou doença do trabalho, tiveram como casos mais comuns, as fraturas, que afastaram quase de 63 mil trabalhadores dos seus postos de trabalho no ano passado. Entre os benefícios acidentários, a dor nas costas também aparece entre as doenças que mais afastaram no ano passado. Foi a quinta com maior número de auxílios – 11,8 mil.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp