Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

DEM e PMDB tem sondado o prefeito de São Paulo, João Dória (PSDB), para ser candidato à presidência da República em 2018. A afirmação é do próprio prefeito e foi divulgado na noite dessa quinta-feira (10).

Há sete meses em seu primeiro mandato eletivo, o empresário desconversa sobre seus planos para 2018, evita entrar em uma disputa com seu padrinho político e presidenciável tucano Geraldo Alckmin e diz que “não é o momento” de se falar sobre a candidatura. Dória diz estar feliz com as possibilidades, mas que não tem intenção de deixar o atual partido.

Na última semana, João Doria recebeu acenos de políticos dos dois partidos. Na segunda-feira (7), foi chamado de “parceiro” e “companheiro” pelo presidente Michel Temer (PMDB), durante uma agenda pública no mesmo dia. No dia seguinte, foi acompanhado pelo prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), a uma cerimônia na capital baiana, onde recebeu o título de cidadão soteropolitano e foi atingido por um ovo, atirado por manifestantes.

Questionado se é a favor da antecipação das prévias em seu partido, como defende o governador Alckmin, ele afirmou que não é hora de se falar sobre isso.

Doria fez coro aos deputados tucanos que criticaram a divulgação de uma propaganda do PSDB feita pelo grupo do senador e presidente interino da sigla, Tasso Jereissati, com quem se reúne neste mês, em Fortaleza. O vídeo, que admite que o PSDB cometeu erros, foi criticado por alguns políticos que votaram a favor do arquivamento da denúncia contra o presidente Temer na semana passada. Para o prefeito de São Paulo, a propaganda deveria ter sido discutida pelas lideranças do partido antes de ser divulgada

Com informações O Globo

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp