Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

As medidas de restrição da mobilidade para conter a disseminação do novo coronavírus tanto no Ceará quanto em outras cidades brasileiras, afetaram fortemente a população ocupada no país, sobretudo a partir de abril deste ano. A informação foi publicada nesta segunda-feira na Carta de Conjuntura do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).

De acordo com a pesquisa, os registros administrativos para o setor formal revelam impacto negativo de forma generalizada, mas de intensidade variada nos segmentos. O mais atingido, em termos relativos, foi o setor de alimentação e alojamento, seguido pelo da construção. Os setores de administração pública e de agricultura foram os que tiveram menos impacto com a crise.

Segundo a Carta de Conjuntura, entre os segmentos mais afetados, houve impactos também severos no setor de serviços domésticos, caracterizados pela forte presença da informalidade.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp