Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Após a reunião semanal com líderes partidários, o presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), deu um recado ao governo de que não aceita mais votar a grande quantidade de Medidas Provisórias que o governo tem enviado ao Congresso. A mensagem foi dada durante a reunião e, segundo ele, também foi tema de uma conversa dele com o presidente Michel Temer. Após a reunião, Eunício informou à imprensa sobre sua decisão de, desde já, começar a rejeitar as MPs. Ele disse que não colocará em pauta três dessas medidas, entre elas a que acaba com a desoneração da folha de pagamento.

Segundo o presidente do Senado, Temer tem que reservar esse tipo de projeto a temas que são realmente urgentes, os demais devem ser enviados na forma de projetos de lei. O grande problema relatado por Eunício é que como os senadores não conseguem discutir a matéria e fazer alterações em tempo hábil para que as medidas não percam a validade, a única alternativa é negociar com o líder do governo o que será mantido e o que será vetado no texto, após sua aprovação

O presidente do Senado citou o exemplo da votação da reforma trabalhista, na qual, segundo ele a maioria dos senadores não concordava com a inclusão que a Câmara fez no texto do governo, mas o Senado teve que acatar porque se não todo o trabalho de tramitação da matéria iria por água abaixo devido ao prazo exíguo.