Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), participou nesta quarta-feira (07), da cerimônia de lançamento do Plano Agrícola e Pecuário 2017/2018. Serão destinados R$ 190,25 bilhões para a ampliação da produção através de financiamentos aos médios e grandes produtores com taxas subsidiadas. As menores já registradas para o setor nos últimos anos.

Eunício comemorou a ampliação do investimento em um setor importante da economia nacional e disse que a medida irá estimular ainda mais a produção. “Esta atividade conta hoje com todos os incentivos para continuar, ou até mesmo ampliar, sua representação na economia do país, gerando emprego e renda e oferecendo produtos de qualidade para consumo interno e para exportação”, contou.

O volume de crédito para custeio e comercialização ficará em R$ 150,25 bilhões. Deste total, R$ 116,25 bilhões com juros e taxas fixados pelo governo. Outros R$ 34 bilhões serão disponibilizados a juros livres, por meio de negociações envolvendo as instituições financeiras e o produtor.

O secretário de Política Agrícola, Neri Geller, afirmou que o ministério da Agricultura conseguiu avançar na negociação para redução das taxas de juros junto à equipe econômica que, mesmo com o cenário de crise, entendeu a demanda.

Quanto aos juros, houve redução de um ponto percentual ao ano nas linhas de custeio e de investimento e, de dois pontos percentuais ao ano nos programas prioritários voltados à armazenagem (Programa para Construção e Ampliação de Armazéns/PCA – 6,5% a.a.) e à inovação tecnológica na agricultura (Programa de Incentivo à Inovação Tecnológica na Produção Agropecuária/Inovagro – 6,5% a.a.). O governo federal reduziu, entre um e dois pontos percentuais, os juros das operações.

No custeio, os juros caíram de 8,5% ao ano e 9,5% ao ano para 7,5% e 8,5%. O mesmo aconteceu para os programas de investimento, à exceção do PCA e Inovagro, nos quais a taxa foi fixada em 6,5% ao ano.

O ministro da Agricultura, Blairo Maggi disse que o valor destinado ao Plano é o maior já liberado pelo governo para o agronegócio. Ele destacou que o setor tem dado grande contribuição para economia do país. “Eu espero que nossos agricultores e agropecuaristas consigam, junto com a agricultura familiar, fazer cada vez mais um país agrícola, que exporta mundo a fora produtos de qualidade”, afirmou.