Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

A portaria de exoneração de Tadeu Filippelli do cargo de assessor especial da Presidência da República já foi encaminhada à Casa Civil para publicação no Diário Oficial da União. A informação foi confirmada pelo Palácio do Planalto. Ex-vice-governador do Distrito Federal, ele foi preso hoje (23) pela Polícia Federal na Operação Panatenaico, que investiga o superfaturamento nas obras do Estádio Mané Garrincha, em Brasília.

Filippelli é investigado pelos crimes de corrupção e de lavagem de dinheiro e ainda de associação criminosa. Segundo o juiz do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, Vallisney de Souza Oliveira, que autorizou a prisão, o assessor fez diversos pedidos de propina para a Andrade Gutierrez.

“Inclusive, recebera propina para o seu partido PMDB, entre 2013 e 2014, tendo recebido valores ilícitos também da Construtora Via Engenharia, tudo em função da realização das obras e na execução do contrato licitatório em que as duas empresas saíram vencedoras e executaram a obra hiperfaturada.”

Além de Filippelli, os ex-governadores Agnelo Queiroz e José Roberto Arruda são alvos da operação e tiveram a prisão temporária decretada. Arruda e Filippelli estão na carceragem da Superintendência da Polícia Federal em Brasília. Agnelo Queiroz ainda não chegou à unidade.

Os policiais cumprem hoje 10 mandados de prisão temporária, 15 de busca e apreensão e três de condução coercitiva no âmbito da operação que investiga irregularidades nas obras de reconstrução do estádio que recebeu jogos da Copa do Mundo, em 2014.

Com informações Agencia Brasil

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp