Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Exportação da safra de frutas está garantida

Uma central para distribuição dos processos de liberação das cargas é a saída negociada pelo Ministério da Agricultura para garantir a exportação da atual safra de frutas pelo Porto do Pecém. O embarque estava ameaçado por falta de inspeção federal, uma vez que a burocracia e cortes no orçamento ameaçam a presença de fiscais nas aduanas. Sem a presença dos fiscais, os contêineres de frutas frescas estavam ameaçados. A temporada de exportação da safra começa a partir do próximo fim de semana e se estende até fevereiro de 2018.

Tendência

O Porto do Pecém manteve em julho a tendência dos meses anteriores com resultados positivos nas exportações. A movimentação acumulada de 2017 (8.872.548 toneladas) foi 75% acima do mesmo período de 2016 (5.067.531 t). Em relação à movimentação, o granel sólido foi a carga mais relevante na composição dos índices em toneladas, com 59% de participação, seguido da carga geral solta 20%, carga conteinerizada com 14% e do granel líquido com 7%.

Restituição I

A Receita Federal iniciou na terça-feira (15), o pagamento do terceiro lote do Imposto de Renda de Pessoas Físicas 2017. Também estão sendo contempladas restituições de 2008 a 2016 que haviam caído na malha fina e foram liberadas. Ao todo, são 2.062.878 contribuintes que devem receber R$ 3 bilhões.

Restituição II

Os dois últimos lotes regulares serão liberados em novembro e dezembro. Se estiverem fora desses lotes, os contribuintes devem procurar a Receita Federal porque os nomes podem estar na malha fina por erros ou omissões na declaração.

Sinduscon

O Sinduscon-CE vai comemorar, no próximo sábado, 19 de agosto, o Dia Nacional da Construção Social. O evento, voltado para trabalhadores da construção civil e seus familiares, terá início às 8h, no Sesi da Parangaba. Promovida pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção Civil e o SESI Ceará, a edição deste ano vai abordar a campanha “Minhas escolhas, Meu país” e será realizado, de forma simultânea, em 31 regiões do país.

Inflação NE

A Região Nordeste apresentou, em julho, inflação de 0,26%, menor valor para o mês, desde 2014, quando foi registrada deflação de preços em 0,36%. No Brasil, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) registrou inflação de 0,24%. O grupo habitação, de impacto mais relevante na formação do indicador inflacionário da Região, apresentou elevação de preços (+1,40%). Entretanto, quatro dos nove grupos pesquisados apresentaram deflação, com destaque para artigos de residência (-0,60%) e alimentos e bebidas (-0,05%).

Regiões Metropolitanas

A Região Metropolitana do Recife permanece com a inflação mais alta do Brasil: 4,24% no acumulado dos últimos 12 meses. No mesmo período, Fortaleza (+3,65%) ficou com o terceiro lugar nacional. Já Salvador assinalou o menor índice entre as capitais nordestinas (+2,54%).