Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Metade do lucro obtido pelo Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) em 2017 deverá ser distribuído este ano com os trabalhadores. O valor chega a R$ 6 bilhões. O dinheiro entrará nas contas dos cotistas do fundo em agosto próximo.

Este será o segundo ano consecutivo em que o FGTS distribuirá 50% de lucro com os trabalhadores. No ano passado, pouco mais de R$ 7,2 bilhões foram distribuídos. Com esse dinheiro extra, a rentabilidade do FGTS tem aumentado muito e ganhado da inflação.

Segundo cálculos do fundo, quando levados em consideração os lucros distribuídos aos trabalhadores, o rendimento do FGTS em 2016 ficou em 7,1%, resultando em ganho real de 0,81%. Em 2017, o ganho, sem a distribuição de lucros, atingiu 3,6%, superando a inflação pela primeira vez em uma década. Quando incluídos os lucros, a remuneração deve ficar entre 5% e 6%.

De acordo com a lei, o FGTS têm que pagar 3% de juros ao ano, além da variação da Taxa Referencial (TR). Como a inflação vinha ficando muito alta — em 2015, encostou nos 11% —, os trabalhadores estavam vendo o patrimônio derreter. Agora, com a inflação mais baixa e a distribuição dos lucros, os trabalhadores tendem a ganhar um pouco mais no FGTS.

Os rendimentos do Fundo de Garantia são incorporados às contas dos trabalhadores. Só podem ser sacados de acordo com a legislação, como, por exemplo, para a compra da casa própria, de doenças graves, de demissão sem justa causa e de aposentadoria.