Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O ano de 2018 terminará com fluxo migratório negativo para o Brasil. Mais brasileiros saíram para morar em outros países do que estrangeiros entraram. A entrada de venezuelanos diminuiu essa discrepância, mas não chega perto de equilibrar os números.

Segundo dados apresentados pelo coordenador-geral da Polícia de Imigração da Polícia Federal, Alexandre Patury, de janeiro de 2018 até o início do mês de dezembro, mais de 250 mil brasileiros foram morar em outros países. Em contrapartida, mais de 90 mil estrangeiros vieram morar no Brasil.

Isso resulta em um saldo negativo de mais de 155 mil pessoas.

Os venezuelanos ficam em primeiro lugar no ranking migratório de estrangeiros para o Brasil. Somando os anos de 2017 e 2018, 199 mil entraram no país e desses 99 mil ficaram.

No âmbito nacional isso, também se reflete no Ceará.

Em pesquisa realizada pelas economistas, mestranda em Ciência da Propriedade Intelectual pela Universidade Federal de Sergipe (UFS), Luanna Pereira de Moraes e pela doutora em Demografia pela Universidade de Campinas (UNICAMP), Silvana Nunes de Queiroz, entre os anos de 2005 e 2010 – dados mais recentes do estudo – o Ceará:

“Se tipifica como um estado de perda de migrantes com nível superior para as demais UFs do País”.

Nesse período, o Ceará teve um saldo migratório negativo de mais de 65 mil pessoas, sendo o Distrito Federal e São Paulo o principal destino dos cearenses.

Ton Silva