Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O deputado federal Heitor Freire (PSL) classificou, nesta quarta-feira, 30, no Jornal Alerta Geral (Rádio FM 104.3 – Expresso Grande Fortaleza + 26 emissoras no Interior), como frouxidão a decisão da Assembleia Legislativa de não instalar, em 2018, uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar a atuação do crime organizado no Ceará.

Freire anunciou que uma das suas primeiras iniciativas ao assumir, nessa sexta-feira, 1º, o mandato de deputado federal é a criação da CPI das facções criminosas. Ele disse que já se articula, para obter os 171 votos necessários, a instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito. Um dos objetivos dessa investigação é descobrir a origem e o destino do dinheiro administrado pelos grupos criminosos que passariam, também, segundo o parlamentar, pelas áreas pública e política do Ceará.

O deputado faz críticas sérias ao cenário que, de acordo com ele, corrobora com o aumento do número desses criminosos no Estado. Questionado pelo jornalista Luzenor de Oliveira sobre o ‘afrouxamento’ da Assembleia Legislativa no combate ao crime organizado, Heitor foi enfático: “deve ter alguma cumplicidade nisso aí”.

O deputado falou, ainda, da falta de segurança da população que “está à mercê; o povo cansou!” Citando algumas situações, Freire julgou necessária a CPI e declarou, ainda, a necessidade de uma maior proximidade entre os cidadãos e as figuras políticas.

Acompanhe a entrevista completa com o deputado Heitor Freire:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp